sábado, 18 de maio de 2013

Chega ao Rio de Janeiro artilharia antimíssil para Copa das Confederações

Gepard


Chegaram ao Brasil nesta quinta-feira (16) oito carros do tipo Gepard que integram o moderno sistema de artilharia antiaérea alemão comprado pelo Brasil para a segurança da abertura e do encerramento da Copa das Confederações, nos dia 15 e 30 de junho, respectivamente.

Os veículos são capazes de abater mísseis, aviões, helicópteros ou drones (aviões não tripulados) suspeitos a até 8 km de distância utlizando mísseis Raytheon FIM-92 Stinger (não comprado pelo Brasil)  ou até 4 km de distância utilizando seus canhões de tiro rápido Oerlikon KD35 de 35 mm o Gepard ainda é considerados um dos melhores sistemas de defesa anti-aérea de curto alcance no mundo.

Segundo o general Marcio Roland Heise, coordenador do projeto de compra das armas, os canhões ainda estão em processo de desembaraço alfandegário junto à Receita Federal. Assim que liberados, os veículos serão levados ao Parque Regional de Manutenção do Exército, no Rio de Janeiro. A previsão é que isso ocorra na terça-feira (21).

O Brasil comprou 34 carros de combate Gepard ao preço de 30 milhões de euros (cerca de R$ 78,4 milhões).

Os blindados foram despachados de navio da Alemanha, em caráter emergencial, para que chegassem a tempo da abertura da Copa das Confederações, que acontece em Brasília, no dia 15 de junho, com a partida entre Brasil e Japão.

Quatro carros serão levados para Brasília e os outros quatro ficarão no Rio de Janeiro, para a partida de encerramento da competição, no dia 30 de junho. Os veículos não ficarão à vista do público, mas estarão posicionados perto dos estádios, em pontos estratégicos.

Em 11 de abril, o Exército Brasileiro divulgou a compra das armas para garantir a proteção dos grandes eventos. Os carros comprados do Exército da Alemanha sofreram uma remodelação, tendo sido "recuperados" em 2010, recebendo novas tecnologias para operar até 2030.

Além do sistema antiaéreo, o Brasil comprou cerca de 600 mil munições para os Gepard e três carros reservas, que serão desmontados e servirão para peças de reposição. O valor inicial do contrato não inclui esse complemento nem treinamentos e suporte técnico.

"As armas serão recebidas e incorporadas ao inventário do Exército. Além disso, faremos testes de tiro com cada um deles, para verificar o funcionamento", afirmou o general Marcio Roland Heise ao G1.

Os blindados Gepard 1A2 pesam 47,5 toneladas, têm 3,7 metros de altura, 3,4 de largura e até 7,7 metros de comprimento. São equipados com dois canhões Oerlikon de 35 mm, que trabalham em conjunto um sistema de radares com campo de visão de até 15 km de raio. A fabricante informa que eles atingem alvos até 5,5 km de altura, mas, no Brasil, serão usados a baixa altitude (até 3 km).

Visita do Papa


A previsão inicial do general Marcio era que os carros sejam usados na Jornada Mundial da Juventude, que deve reunir mais de 2 milhões de pessoas no Rio em julho durante a visita do Papa Francisco ao país.

Mas, segundo o general Guido Amin Naves, comandante da Brigada de Artilharia Antiaérea, ainda não foi decidido se o material será empregado ou não. O evento em que o sistema antiaéreo pode ser usado é a missa de encerramento, em Guaratiba, no Rio, em 28 de julho.

"Assim que os carros estiverem operando, faremos um treinamento inicial. Os blindados que já estarão no Rio para a final da Copa das Confederações poderão ser empregados para a visita do Papa, mas isso ainda está em fase de definição. Ainda não recebi nenhuma ordem de serviço sobre isso do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra)", afirma o general Amim.

Usados e reformulados
A negociação entre os Exércitos do Brasil e da Alemanha ocorreu através da empresa Krauss-Maffei Wegmann (KMW), fabricante dos veículos.

"Os carros foram reformulados, receberam novo sistema de radares e computadores, canhões de 35 mm e tecnologia de guiamento, que seguem o alvo mesmo se ele desviar. O Exército alemão iria usar os blindados, mas a Otan [Organização do Tratado do Atlântico Norte] mudou algumas diretrizes em relação à defesa antiaérea e eles tiveram que deixá-los de lado", afirmou o general Marcio Roland Heise.

A implantação do Gepard pelo Exército busca suprir uma carência de proteção para as duas brigadas do país que abrigam blindados, localizadas em Ponta Grossa (PR) e em Santa Maria (RS), e também de garantir a segurança de estruturas estratégicas, como usinas hidrelétricas, essenciais para o caso de uma eventual guerra.

Intenção de compra

Em fevereiro, o vice-presidente, Michel Temer, assinou uma intenção de compra para adquirir um sistema de artilharia antiaérea da Rússia que tem capacidade de atingir alvos a médio alcance – até 15 km de altitude. O Brasil não tem atualmente esta tecnologia, que é uma exigência da Fifa para a Copa do Mundo.


Opinião do Blog:
O sistema Gepard ainda é considerado um dos melhores sistema de defesa anti-aérea de curto alcance, e juntamente com o sistema Pantsir s1 e Igla-S que esta sendo comprado da Russia deixaria o Brasil com um ótimo sistema de defesa aérea de curto-alcance mas também existem informações de que o Brasil esta negociando com a Russia o Sistema de defesa Aérea de médio alcance Parana (Pechora) se o Brasil adquirir todos estes sistemas no final teremos uma das melhores defesas Anti-aéreas da America do Sul só inferior, a Venezuela e Chile a Venezuela possui o S-300 com 200 km de alcance e o Chile comprou em 2011 o sistema NASAMS com 30 km de alcance.

 Confira no video abaixo todo o poder de fogo do sistema Gepard 




17 comentários:

  1. Os tanques vão sair correndo atrás dos batedores de carteira e ladrões que promovem arrastões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não o sistema Gepard não vai sair correndo atrás dos batedores de carteira e ladrões que promovem arrastões mas vai proteger as milhares de pessoas que vão assistir os jogos contra atentados terroristas impedido que terrorista joguem aviões contra os Estádios de Futebol se houver um sequestro de avião o sistema Gepard pode abater o avião a uma distancia segura sem causar risco as milhares de pessoas que vão assistir os jogos

      Excluir
    2. Poderia muito bem pegar esse dinheiro e investir em pesquisa para fabricação de suas próprias armas. Temos matéria prima em abundância, daria pra fazer milhares desses, e ainda por cima poderíamos comercializar. Ai ficamos pagando por tecnologia ultrapassada, é de ficar triste com uma coisa dessas, comprando coisa que os outros países não querem mais. Usou e abusou e no final vende pros bestas- "vende pro Brasil eles compram na hora, da o preço de novo... HAUHAAHAU". O coisa bonita de se ver, escolhe o jeito mais difícil de fazer as coisas Brasil.

      Excluir
    3. Na realidade o Brasil esta desenvolvendo um sistema semelhante ao Gepard eles vão utilizar o Blindado Guarani, e o Gepard não é ultrapassado ele é um excelente sistema e a Alemanha vendeu ele muito barato não conseguiriamos comprar nem outro equipamento com o preço do Gepard.

      Excluir
    4. não mas vão ajudar a defender nosso país de futuras ameaçãs em potencial, além disso a compra desses tanques não é só por causa da copa mas também por necessidade, afinal um país grande e poderoso como o Brasil não poder continuar tendo um sistema de defesa e exército fracos...

      Excluir
  2. Quase R$ 80 milhões..... que p*taria hein...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sistema de qualidade são caros quanto melhor mais caro é.
      O sistema Pantsir s1 e Iglas-S que o Brasil esta comprando da Russia vai custar 1 bilhão de reais são 3 baterias de Pantsir e 2 igla-s por 1 bilhão

      Excluir
  3. Amigão nenhum pais sulamericano tem atualmente sistemas de defesa antiaérea, nos moldes de 3 a 15 km de distancia. Nem Chile nem Venezuela, o Brasil será o primeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil não será o primeiro diversos países sul-americanos tem sistema de curto-alcance e alguns até de médio alcance a Venezuela comprou e já recebeu o Sistema S-300 ANTEY com 200 km o Chile comprou o sistema NASAMS com 30 km de alcance a Argentina possui o sistema Roland com 8 km de alcance até o Brasil já operou o Sistema Roland até o ano 2000 o Gepard e Pantsir s1 apenas esta recuperando e ampliando a capacidade que perdemos

      Excluir
  4. grandes coisa, mais q toquem um aeroporto inteiro em cima dos estadios..

    ResponderExcluir
  5. vai que o paraguai resolve criar uma ofensiva de arcos e flechas contra o Brasil, sinceramente, gasto desnecessário para felicidade de "acordos" políticos para beneficiar certas nações em crise.
    Nada a ver com o blog, mas não queremos copa, nao queremos papa, queremos saúde e educação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Educação sempre tem que ser a prioridade numero 1 de qualquer pais mas os gastos em Defesa também sempre tem que estar entre as prioridades do Estado um Pais grande Economicamente como o Brasil cheio de recursos naturais desperta a cobiça de outras nações se não tivéssemos Forças de Defesa capazes as potencias Mundias já teriam arrumado uma desculpa a muito tempo para invadir e saquear nossos recursos naturais e nós deixar em situação pior do que já estamos
      E você esta correto em seu comentário a Alemanha vendeu o Gepard porque esta em dificuldades financeiras os Europeus estão se desfazendo de diversos sistemas de defesa a preços extremamente baixos.

      Excluir
  6. O Sistema S-300 ANTEY e sistema NASAMS são sistemas de misseis, não são apropriados para proteção de cidades e grandes eventos pois geram destroços. Principalmente o S-300 que tem misseis mais altos que uma casa. O Gepard é um sistema de artilharia mesmo! Ja o sistema russo Tor-M2E já é baseado em misseis. Mas entendo o que voce esta falando o importante é alvo abatito. Gostei d seu blog muito bom conteudo, Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio
      Você esta correto em seu comentário eu também não considero o sistema S-300 e NASAMS adequados para proteção de grandes eventos são sistemas caros e complexos e adequados apenas para operações de combate.
      Na minha opinião Simples canhões Anti-aéreos ou Sistema Gepard ou misseis Manpads como o Igla podem realizar o trabalho de proteção a eventos sem nenhum problema e por um custo muito menor e são mais adequados para o trabalho.

      Excluir
  7. Respostas
    1. É exigência da FIFA para realizar a competição e totalmente necessário para o Pais

      Excluir
  8. Concordo plena e totalmente com a compra das artilharias atimíssel afinal o Brasil ta prescizando de um upgrade nos sistemas de defesa aérea terrestre e naval...

    (parabéns pelo blog mto bom abraç)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...