quarta-feira, 31 de julho de 2013

T-25 Universal atinge marca histórica de disponibilidade

T-25 Universal


Mesmo após 42 anos de serviço na Força Aérea Brasileira, a frota do treinador T-25 Universal atingiu um recorde histórico neste mês: até o dia 23 de julho, a média de disponibilidade da frota da Academia da Força Aérea foi de 87,24%. Isso quer dizer que dos 42 T-25 utilizados para instrução básica dos Cadetes, pelo menos 36 estavam diariamente disponíveis para voo. No dia 12, a equipe de manutenção conseguiu o feito de alcançar 93% de disponibilidade, com 40 aeronaves prontas para decolagem.

Com 27 anos de experiência na manutenção do T-25, o Suboficial Ronaldo Legui explica que o avião é fácil de trabalhar, mas houve uma evolução na organização do trabalho. “A logística melhorou. A informática ajudou. Foram implantados sistemas que faz com que os suprimentos cheguem quando são necessários”, conta. O Suboficial diz que são realizadas, em média, 250 inspeções anuais em aeronaves da frota e que agora todos os passos têm um planejamento melhor. “A gente consegue liberar a aeronave em menos tempo, fazer um bom trabalho”, completa.

T-25 Universal
Com um número cada vez menor de aeronaves nas mãos do pessoal de manutenção, o Tenente Aristóteles Alves brinca: “Acho que coisa parecida só foi possível quando os aviões chegaram da fábrica”. O oficial especialista explica que além do trabalho da equipe de 70 militares diretamente envolvidos na manutenção dos T-25, há ainda a participação do Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa e de outras unidades que participam da cadeia logística. “Qualquer avião é fácil de manter desde que você tenha um suporte adequado. E é isso o que a gente está tendo”, explica. Ele ressalta ainda a capacitação dos recursos humanos.

O Tenente Rafael Viana, instrutor de voo da Academia da Força Aérea, explica que a maior disponibilidade de aeronaves significa uma maior quantidade de decolagens durante o dia. “A gente consegue otimizar a instrução dos Cadetes”, resume. O T-25 é o primeiro passo na formação dos aviadores da FAB. Todo ano, aproximadamente 100 Cadetes do segundo ano da Academia realizam na aeronave a etapa primária do treinamento aéreo, com 50 horas de voo. No quarto ano, as etapas avançadas são realizadas nos T-27 Tucano.

Brasil vai ter navio-laboratório para pesquisas no oceano

Ministro marco antonio raupp
Ministro da Ciência Marco Antonio Raupp

O Ministério da Ciência e Tecnologia anunciou na terça-feira a compra de um navio-laboratório de US$80 milhões para pesquisas hidroceanográficas, durante o Congresso Brasileiro para o Progresso da Ciência (SBPC), realizado em Recife.

A embarcação vai integrar o projeto do recém lançado Instituto Nacional de Pesquisas Oceânicas e Hidroviárias (Inpoh).

O objetivo é estudar a conservação da biodiversidade marinha, a melhoria de processos associados à pesca, aquicultura e maricultura, bioprospecção, proteção e adaptação de zonas costeiras para as mudanças climáticas, realização de estudos sobre vias fluviais, hidráulica fluvial e portuária.

"Estamos concretizando uma demanda antiga da comunidade científica, que culminará em um grande avanço para as pesquisas oceanográficas e para o uso sustentável dos nossos recursos marítimos e fluviais", disse o ministro Marco Antonio Raupp.

O almirante Wilson Guerra informou que o navio está sendo construído na China. A previsão é que a embarcação seja entregue em outubro de 2014.

O navio será equipado com o que há de mais avançado em termos de tecnologia, o que permitirá o acesso à parte geológica e biológica para experimentações e retirada de amostras, explicou o almirante.

França, Japão, China e Rússia são alguns dos países que possuem navios equipados com alta tecnologia, destinados a essa finalidade. "Certamente, essa aquisição poderá alçar o Brasil ao nível das pesquisas realizadas nesses países", avaliou Guerra.

O Inpoh foi lançado este ano pelo governo para viabilizar pesquisas que já são feitas em universidades, institutos e empresas no país. A compra da embarcação é resultado de um acordo de cooperação entre o Ministério da Ciência e Tecnologia, o Ministério da Defesa, a Marinha do Brasil, a Petrobras e a Vale.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Helicóptero da FAB faz resgate no Pantanal com o uso de óculos de visão noturna

NVG óculos de visão noturna

O Esquadrão Pelicano, de Campo Grande (MS), utilizou pela primeira vez os óculos de visão noturna (NVG) em uma missão de resgate real. O uso do equipamento foi decisivo para a saúde de Nicéia Gomes, de 59 anos, que sofreu uma fratura na bacia e precisava ser removida para um hospital com urgência na noite desta segunda-feira (22/7).

Nicéia, que havia caído de um cavalo, estava em uma fazenda a 450 Km de Campo Grande (MS), em pleno Pantanal, uma localidade de difícil acesso. O transporte por via terrestre ou por barco poderia piorar o estado de saúde da paciente. Após o pedido do Corpo de Bombeiros, a Força Aérea Brasileira foi acionada e o helicóptero com seis tripulantes, sendo um médico e um enfermeiro, seguiu para o resgate.

Local do resgate visto pela tripulação
Local do resgate visto pela tripulação
Mas essa não seria uma missão simples para o Esquadrão Pelicano. “Quando nós chegamos ao local, estava tudo escuro", conta o Tenente Canedo. Foi a hora de, após quatro anos de treinamento, o Esquadrão utilizar os óculos de visão noturna em um resgate real pela primeira vez. "Se não tivéssemos o equipamento, o resgate teria que ser feito somente quando o dia clareasse”, explica o aviador.

Mas esperar não era a melhor opção. O Capitão Médico Mauro Pascale diz que a já estava preocupado porque a paciente havia sofrido a fratura há 24 horas, e não tinha recebido atendimento médico. Quando o helicóptero chegou, os familiares já haviam colocado Nicéia em uma caminhonete para tentar embarcar em uma balsa. “O primeiro atendimento foi feito dentro do veículo. A nossa preocupação foi com o tempo que a paciente ficou esperando pelo resgate”, lembra o médico.

A bordo do helicóptero, a tripulação manteve o monitoramento de Nicéia, enquanto que uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) aguardava no aeroporto de Corumbá. A viagem que levaria 6 horas de balsa durou apenas quarenta minutos.

“Para que os outros possam viver”


Com este lema, o Esquadrão Pelicano foi fundado em 1957 com a missão específica de realizar busca e salvamento. Atualmente, a unidade é equipada com os helicópteros H-1H e os aviões SC-105 Amazonas, sendo que ambos atuam em todo o País. Em janeiro deste ano, o Pelicano montou em um SC-105 Amazonas a maior UTI já utilizada no Brasil para auxiliar no transporte de vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria (RS). Até sete pacientes em estado grave seguiam para Porto Alegre (RS) acompanhados por uma equipe médica de 21 profissionais em voos que duravam menos de 40 minutos.

Caminhoneiros planejam protestos após mudança na tarifa de pedágio



A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) autorizou as concessionárias a cobrarem uma taxa de pedágio considerando os chamados eixos suspensos dos caminhões e carretas a partir de 0h de domingo (28). A cobrança só acontecia em estradas federais. Na rodovia Cônego Domênico Rangoni, em Guarujá, no litoral de São Paulo, alguns caminhoneiros programaram protestos para esta segunda-feira (29), mas pela manhã, o que bloqueou a rodovia é um protesto de moradores da Vila Caic, em Cubatão (SP), e causa lentidão em outras estradas.

Até o momento, não há protestos por causa da cobrança no pedágio mas, existe uma expectativa para manifestações em várias estradas do estado, inclusive na rodovia Cônego Domênico Rangoni. A tarifa de pedágio dos caminhões passa a ser calculada considerando todos os eixos do caminhão.

As manifestações começaram no início do mês de julho. Durante mais de 25 horas os caminhoneiros bloquearam o pedágio da rodovia Cônego Domênico Rangoni. Os motoristas não concordavam com a cobrança individual de cada eixo dos caminhões. A tropa de choque de São Paulo, com mais de 120 militares, conseguiu dispersar os protestantes.

Depois desses protestos, a cobrança foi suspensa pelo governo do Estado, e adiada para essa semana. A Agência Reguladora dos Pedágios de São Paulo diz que a cobrança é necessária para amenizar o cancelamento do reajuste dos pedágios. O governador Geraldo Alckmin afirmou que essa cobrança já é feita nas rodovias federais. Os caminhoneiros contestam essa alegação do governo, dizem que nas rodovias federais o valor do pedágio é bem mais baixo.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

GLADIADOR um Blindado 4X4 100% Brasileiro

Blindado GLADIADOR


O BLINDADO GLADIADOR - Blindado Leve Sobre Rodas (BLSR) - projeto do Grupo InbraFiltro - foi desenvolvido para operações especiais de segurança, na qual as tropas necessitam de proteção e grande mobilidade.
Blindado GLADIADOR

Projetado totalmente dentro das instalações da InbraFiltro, o Blindado Gladiador, tem o conceito monobloco construído em chapa de aço balístico e é dotado de uma blindagem contra munição 7,62 NATO. Estruturado totalmente sobre mecânica Agrale, o veículo possui alta mobilidade operacional, podendo ainda ser equipado com vários itens defensivos e/ou de ataque, com a configuração desejada pelo cliente.

O modelo foi projetado para ter uma autonomia de 640km em rodovia e 400km em terrenos acidentados, sem reboque e sem utilização de reservatórios de combustível suplementares. A carga máxima é da ordem de 1.600 quilos, com capacidade de transportar o motorista e mais cinco soldados.

interior do Blindado GLADIADOR
O Blindado Gladiador possui capacidade para defesa química, biológica ou radiológica, detecção de raio laser sobre a viatura, além de baixa assinatura térmica, de radar e de ruído. Outra característica inclui mobilidade noturna e possibilidade de ser aerotransportado aos pares em aviões C-130 usados pela força aérea brasileira. O carro possui seis lançadores de granadas fumígenas dispostos nas laterais do veículo.

O Blindado Gladiador tem sido alvo de grande interesse pelas Forças Armadas, bem como pelas diferentes polícias no Brasil. Alguns países também já confirmaram a intenção de compra de várias unidades do veículo, fato este que colocará o Grupo InbraFiltro definitivamente no mercado de exportação de blindados leves.

Características Técnicas do Blindado GLADIADOR


  • Relação peso-potência: de 21,5 a 30,43kg/cv;
  • Peso máximo: 3.500kg;
  • Motor diesel TDi 2,5l com intercooler, de 115CV a 3.800rpm, com torque de 29,0mkgf a 1.600rpm;
  • Velocidade máxima, com carga máxima, por tempo ilimitado: 120 Km/h;
  • Tração permanente nas quatro rodas (4x4);
  • Caixa de mudanças mecânica, com 5 marchas sincronizadas à frente e uma à ré sincronizada, com reduzida em todas as marchas (12 marchas);
  • Sistema elétrico de 24V para os equipamentos e 12V para a viatura;
  • Proteção blindada à penetração de projéteis 7,62mm, disparados a 30m de distância, em toda a viatura (NIJ-STD 0108.01-nível III);
  • Consumo, com carga máxima: 8,0 Km/l em estrada especial 1, 2 e 3; 5 km/l em estrada classe 4 ou através do campo, sem chuva;
  • Terceiro diferencial que equaliza as velocidades dos eixos traseiros e dianteiros, evitando arraste e permitindo tração permanente nas quatro rodas;
  • Sistema de ar condicionado capaz de manter condições estáveis de conforto térmico (ar quente e frio);
  • Sistema de direção servo assistido, com capacidade de funcionamento mecânico quando houver falha no sistema principal;
  • Sistema de freio hidráulico, servo assistido, à disco nas quatro rodas, e de estacionamento, nas 4 rodas através de tambor na árvore de transmissão, todos com eficiência mesmo molhados;
  • Capacidade de carga de reboque: 750 kg, sem freio e 3.500kg, com freio hidráulico inércia.

Fonte: http://www.grupoinbra.com.br/inbraland.php

Washington explicará espionagem a 2 missões do Brasil



O Brasil vai enviar duas comissões a Washington para ouvir do governo americano explicações sobre o caso de espionagem de cidadãos e instituições brasileiras. O primeiro grupo será técnico e deverá tratar com peritos americanos. O segundo será político - possivelmente em nível ministerial – e quer conversar sobre mudanças na relação dos EUA com a espionagem em outros países.

Depois de se oferecer para receber uma comissão, o governo americano informou que irá apresentar aos técnicos brasileiros o sistema de monitoramento usado pela Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) e em qual contexto é usado. A ideia inicial era de que os peritos americanos viessem ao Brasil, mas a presidente Dilma Rousseff acreditou ser mais produtivo que os brasileiros fossem a Washington.

Uma lista de questões para os americanos está sendo preparada por peritos brasileiros que fazem parte do grupo técnico, formado pelo governo há cerca de duas semanas para confirmar a existência da espionagem e em que grau ela teria ocorrido. A intenção é que eles voltem com informações e apresentem um relatório ao governo para servir de base para a segunda visita, possivelmente formada por ministros.

Nesse segundo encontro, o governo brasileiro pretende levar sugestões de mudanças na prática americana de monitoramento para que não haja mais o que foi considerado pela presidente como uma quebra de soberania. Nenhuma das duas visitas tem data marcada.

O convite para a viagem a Washington, feito primeiro pelo embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon, não foi respondido pelo governo brasileiro. Na semana passada, o vice-presidente Joe Biden ligou para a presidente Dilma Rousseff para tratar do assunto e repetiu o convite, finalmente aceito.

Ontem, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, confirmou que os encontros estão sendo negociados. "Haverá uma primeira conversa, mais técnica, com peritos americanos, e um segundo momento, mais abrangente, em nível político", afirmou o chanceler brasileiro.

A intenção é que o caso seja tratado paralelamente e não interfira na visita de Estado que Dilma fará a Washington em 23 de outubro. Apesar de ter ficado irritada com o caso de espionagem e de exigir respostas, a própria presidente disse que não pretendia criar uma crise política entre os dois países.

Além da pedir mudanças nas políticas americanas de monitoramento, o governo brasileiro começa a agir em fóruns multilaterais. Diplomatas brasileiros sondam, especialmente nas Nações Unidas, a receptividade dos demais países a um marco legal internacional sobre o assunto.

Há resistência ao tema, especialmente por medo de restrições ao trabalho de inteligência. A intenção do Itamaraty e centrar as discussões em segurança cibernética, o que tem ajudado a ganhar adesões incipientes. A Alemanha deu mostras de simpatia pelo tema, assim como outros países que descobriram ser espionados pelos EUA.

domingo, 28 de julho de 2013

Comandante Logístico visita o Comando de Aviação do Exército


No dia 23 de julho, o Comando de Aviação do Exército recebeu visita de integrantes do Comando Logístico, que foram conhecer as principais ações dos Projetos Estratégicos do Exército, em curso na Aviação do Exército, e as principais demandas logísticas decorrentes do Plano de Implantação e Transformação da Aviação do Exército. 
Durante o evento, a comitiva assistiu a palestra sobre a Aviação do Exército e visitou o Pelotão Contra Incêndio, o 1º Batalhão de Aviação do Exército, o Batalhão de Manutenção e Suprimento de Aviação do Exército e as obras do Hangar do Centro de Instrução de Aviação do Exército. 

A atividade contou com a presença do Comandante Logístico, General de Exército Marco Antônio de Farias, do Comandante da 2ª Região Militar, General de Divisão João Camilo Pires de Campos, do Comandante da Aviação do Exército, General de Brigada Laerte de Souza Santos e de oficiais-generais do Comando Logístico.

sábado, 27 de julho de 2013

INPE e IAE inauguram laboratório para sistemas de navegação inercial usados em satélites e veículos espaciais


O desenvolvimento de sistemas de controle de atitude e órbita, fundamental para autonomia tecnológica brasileira, ganha impulso com a instalação do LABSIA - Laboratório de Sistemas Inerciais para Aplicação Aeroespacial, em São José dos Campos (SP).

Resultado da parceria entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), o LABSIA será inaugurado nesta sexta-feira (26/7), às 9 horas, pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp.

Logo após breve cerimônia no INPE, autoridades, pesquisadores e convidados se dirigirão para o IAE, no campus do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), onde está instalado o LABSIA.

O LABSIA possui dois pavimentos. “O térreo será utilizado para integração de giroscópios de fibra ótica, usados em veículos espaciais e satélites, tecnologia bastante avançada desenvolvida pela indústria brasileira com a supervisão do INPE e DCTA. No outro andar temos sensores e equipamentos integrados a um sistema computacional. Essa estrutura serve para simular o sistema de controle e atitude e verificar como o satélite se comportará no espaço”, informa Valdemir Carrara, da Divisão de Mecânica Espacial e Controle do INPE.

A infraestrutura permitirá realizar testes de qualificação de sistemas de controle de atitude para satélites estabilizados em três eixos, com desempenho compatível com aqueles exigidos por satélites de observação da Terra de alta resolução espacial.

O laboratório reúne computadores para simulação, placas de aquisição e geração de sinais, interfaces de comunicação padronizadas e compatíveis para satélites, sistemas para operação em tempo real, computador de emulação do computador de bordo, além de toda a infraestrutura necessária para configurar e operar o sistema.

“Uma plataforma suspensa em colchão de ar entrará em operação no LABSIA, pois este conta com um teto retrátil construído especialmente para permitir a incorporação do sensor de estrelas na malha de simulação física com estímulo real nos testes a serem realizados em período noturno. Assim, o LABSIA proverá o Brasil com a infraestrutura e os meios necessários para o desenvolvimento e testes de sistemas de controle de atitude e órbita”, conclui o engenheiro do INPE.

O novo laboratório foi construído no âmbito do projeto SIA (Sistemas Inerciais para Aplicação Aeroespacial), desenvolvido pelo INPE com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). Sistemasinerciais, considerados tecnologia crítica em qualquer programa espacial, são utilizados na estabilização de satélites em órbita e na orientação da trajetória de um foguete no espaço.

Deputado ensina a comprar votos e difamar adversários

Deputado Aelton Freitas


Uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, mostrou na noite deste domingo um vídeo em que o deputado Aelton Freitas (PR-MG) dá uma aula sobre como disputar uma eleição. O parlamentar explica como comprar votos e difamar os adversários na disputa.

Antes de ser eleito deputado, Freitas foi senador — substituiu José Alencar, que deixou oSenado para assumir a vice-presidência da República, em 2003, informou a reportagem.

O vídeo, em que o deputado aparece em um restaurante em Capetinga, no interior de Minas Gerais, foi gravado em setembro do ano passado, às vésperas das eleições municipais.

Para comprar voto, Freitas sugere a "técnica do cartãozinho", em que cartões com valor de R$ 100 cada seriam distribuídos. O valor seria pago só se o candidato fosse eleito.

Outra lição é sobre boatos contra adversários, para o qual Freitas sugere criar um "esquadrão da fofoca", que circularia em locais públicos para falar mal do concorrente.

Por fim, o deputado mineiro orienta os aprendizes a usar a verba das emendas parlamentares para beneficiar os municípios onde obteve mais votos.

Procurado pelo Fantástico, o deputado disse que deu as declarações em uma "reunião fechada entre companheiros", onde "de repente a gente fala muita coisa que não deve, que não pode". Ele também informou que não sabia que o papo estava sendo gravado.

Freitas negou que tenha ensinado a comprar votos na eleição municipal de Capetinga e afirma que jamais pagou para que votassem nele, concluindo que a gravação não passou de uma "brincadeira".

Uma cópia do vídeo, informou a reportagem, foi entregue anonimamente ao Ministério Público em Minas, que enviou o material para a Procuradoria Geral da República. A Câmara, que está em recesso, não se manifestou sobre o caso.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Helicóptero MH-16 Seahawk faz seu primeiro pouso a bordo do NAe São Paulo

MH-16 Seahawk


No dia 10 de julho, o Guerreiro 34, do Esquadrão HS-1, realizou seu primeiro pouso a bordo do Navio-Aerodromo São Paulo, durante a Missão "ATRAQUEX". O exercício faz parte do processo de ambientação das Equipes de Manobra do navio com as novas aeronaves MH-16 e também dos pilotos com o navio.

Após o primeiro pouso, que ocorreu no spot n°5, às 13h39, foram realizados diversos outros, onde em cerca de uma hora de voo foram sedimentados procedimentos de segurança peculiares à aeronave, assim como setores de aproximação e familiarização dos pilotos com as atuais marcações de local de pouso.

O MH-16, dentre suas muitas capacidades, é adequado para as operações a bordo, por contar com dobragem de pás automática e dobragem manual do estabilizador e do cone de cauda.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Base Aérea de Natal recebe novo contador de tiro aeroterrestre da FAB

Contador de tiro aeroterrestre


O estante de tiro de Maxaranguape (RN) conta a partir deste mês com o primeiro sistema de contagem de tiro aeroterrestre que utiliza rádio frequência na comunicação entre alvo e torre de controle. Com o novo equipamento será possível ter mais rapidamente os resultados alcançados com as campanhas de tiro realizado por aviões e helicópteros em missões de treinamento.

A ação foi iniciada em junho pelo Parque de Material Bélico do Rio de Janeiro (PAMB-RJ), e finalizada no início de julho, disponibilizando o estande para o treinamento dos pilotos.

O novo sistema, totalmente informatizado, conta com um software que capta as ondas de choque produzidas pelos projéteis e as transformam em sinais, que são enviados por meio de rádio frequência a um "transceiver", dispositivo que combina transmissor e receptor, instalado na torre de controle de tiro. Na torre, um computador mostra ao operador a quantidade de tiros disparados, os acertos no alvo e a localização exata desses acertos.
Segundo o Tenente Luiz Carlos de Oliveira Motta, que coordenou a implantação do sistema e o treinamento dos militares que farão a manutenção dos equipamentos, o software processa os dados e possibilita imprimir e arquivar, por piloto, as missões realizadas.

"O investimento em equipamentos modernos e precisos, mais a capacitação de recursos humanos feita pelo PAMB-RJ, alavanca o treinamento das equipagens de combate da Força Aérea, aperfeiçoando as missões com emprego de tiros aeroterrestres", assegurou o Tenente Motta.

FHC tem de explicar venda da Embratel à CPI da Espionagem

FHC



Não faltaram advertências de analistas para avisar com todas as letras que entregar a Embratel para uma empresa dos Estados Unidos, como foi o caso da MCI World Comm – em 1998, na onda de privatizações do governo FHC – era estender o tapete vermelho para o governo norte-americano grampear as redes e satélites brasileiros.

A estatal brasileira foi vendida "de porteira fechada", com satélites, redes de fibra ótica e tudo. O que ocorreu com o dinheiro arrecadado nesta e em outras operações de privatização pode ser conferido no livro/reportagem de Amaury Júnior A Privataria Tucana.

Nos primeiros anos pós-privatização, a Embratel era hegemônica nas redes nacionais e internacionais de longa distância. Já nas ligações locais de Brasília o controle estava nas mãos da Brasil Telecom, empresa controlada pelo Citibank através do banco Opportunity, de Daniel Dantas.

As empresas tiveram por um bom tempo o controle sobre todas as ligação nacionais e internacionais e, mais tarde, sobre o tráfego de dados na internet. Pode perfeitamente ter gravado clandestinamente ligações com fins de espionagem diplomática, militar, comercial, industrial, de chantagem etc. e repassado ao governo dos EUA informações sensíveis.

Mesmo depois de o controle acionário ter sido transferido para a Telmex, em 2010, o controle estadunidense sobre as informações continuou presente, através de serviços de empresas dos EUA para a operadora mexicana, e de equipamentos, softwares e controle de satélites.

Ou seja, o governo de Fernando Henrique Cardoso deixou uma estrutura completa e no jeito para bisbilhotagem. Agora que o Senado decidiu abrir uma CPI para investigar a espionagem, FHC tem de ser convocado, se preciso por condução coerciva pela Polícia Federal, para explicar o inexplicável.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Aeronave cai no Litoral Norte de Pernambuco



O Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 3) confirmou, na noite desta quarta (24), a queda de uma aeronave em Ponta de Pedras, distrito do município de Goiana, na Mata Norte de Pernambuco. O 2° Batalhão da Polícia Militar deslocou equipes para a ocorrência.

O Corpo de Bombeiros também recebeu uma chamada sobre o acidente e enviou sete viaturas ao local. Ainda não há informações sobre vítimas nem confirmação de onde a aeronave teria caído nem se era voo comercial ou privado. Informação inicial da Polícia Rodoviária Federal (PRF) indica que o acidente foi com um bimotor.

Igreja Católica reforça posição contra aborto e adoção de crianças por homossexuais

Papa Francisco


No kit distribuído aos jovens inscritos na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), além do Guia do Peregrino, foi incluído o Manual da Bioética, editado pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar, vinculada à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que expõe o ponto de vista da Igreja Católica em relação a vários temas controversos e reforça a posição contrária ao aborto e à adoção de crianças por casais do mesmo sexo.

O livrinho discute temas como concepção, pesquisa com embrião, reprodução assistida, diagnóstico pré-natal, doação de órgãos e eutanásia com argumentos científicos, além de religiosos. No item sobre aborto, alerta que "a expressão interrupção da gravidez mascara a realidade, ocultando a morte do principal interessado: a criança". Desenhos das várias etapas da gestação ilustram o capitulo, que detalha os diferentes métodos de aborto.

Apesar de condenar a interrupção voluntária da gravidez, a publicação diz que, "depois de um aborto, a mulher deve ser amparada, pois pode estar numa grande solidão e ter um sentimento de culpa e precisará construir o seu futuro aceitando incluir aquele acontecimento".

O texto defende a preservação do feto também nos casos de estupro: "A mãe tem de ser muito bem acompanhada depois de um tal traumatismo, mas matar a criança não anula o drama. É junta rum drama a outro drama. O criminoso deve ser punido, para por que é que a criança inocente deverá, ela, sofrer a pena de morte que o criminoso não sofre?"

No capítulo "A teoria do gênero", o manual nega que a rejeição à adoção de uma criança por casais do mesmo sexo seja homofobia. "Não (representa homofobia), porque a questão é outra. Ter um filho não é um direito. O filho não é um bem de consumo (...) É preciso um homem e uma mulher para gerar um filho. Querer ignorar essa exigência biológica é um forte indício de que a reivindicação não é justa", diz o manual.

O manual, bastante didático, é uma "versão especial JMJ", como diz a introdução assinada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, d. Orani Tempesta, e por Jean-Marie Le Mene, presidente da Fundação Jérôme Lejeune, instituição de pesquisa e atendimento a pessoas com deficiências genéticas. "Trata-se de uma apresentação objetiva das grandes questões de bioética com as quais somos todos confrontados, que nos deixam frequentemente desamparados", diz a introdução.

Sobre filhos criados por pais ou mães homossexuais, o manual diz que "é essencial ser amado pelos pais, mas não basta". "Criar, educar um filho ultrapassa o lado afetivo, embora todos os componentes se misturem (...) A criança precisa de pai e mãe para se desenvolver", reforça.

A publicação também rejeita a pesquisa com células-tronco embrionárias, o que considera "imoral porque elas são obtidas através da destruição de embriões humanos". Há ainda um alerta sobre o diagnóstico pré-natal que, segundo o manual, "atualmente foge a esta política de proteção da saúde da mãe e da criança, pois serve frequentemente para detectar anomalias cujo diagnóstico leva frequentemente a uma decisão de abortar".

terça-feira, 23 de julho de 2013

Marinha recebe Blindado M113MB1 Modernizado

M113MB1


No dia 14 de junho, no Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais (CTecCFN), localizado no Rio de Janeiro,o Comando do Material de Fuzileiros Navais entregou à Força de Fuzileiros da Esquadra sete Viaturas Blindadas Especiais Sobre Lagartas “M113MB1” que foram modernizadas no Brasil. As viaturas conferem elevada mobilidade aos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais, além de proverem proteção por meio de sua blindagem.

Decisivas nos processos de pacificação de comunidades do Rio de Janeiro, como o Complexo do Alemão e a Rocinha, as Viaturas “M113MB1” estão prontas para serem empregadas em apoio às operações expedicionárias - vocação do Corpo de Fuzileiros Navais - como também, nos momento onde é necessária a demonstração de força e dissuasão, a exemplo da Segurança da Conferência Rio +20.

Os sete blindados fazem parte de um primeiro lote de 30 Viaturas Blindadas Especiais Sobre Lagartas “M113MB1” que estão sendo modernizadas pelo Corpo de Fuzileiros Navais, utilizando tecnologia israelense. O projeto de modernização inclui uma nova configuração de seus sistemas, a partir da substituição dos antigos componentes por outros mais modernos, eletrônicos e automatizados, com tecnologia de ponta. O relevante incremento em seus índices de desempenho, aferidos durante os testes realizados no Centro de Avaliação do Exército Brasileiro, capacitará o “M113MB1” modernizado a cumprir suas tarefas em melhores condições de emprego. A viatura-protótipo foi montada e testada pela empresa “Israel Military Industries” (IMI), em Israel, e a viatura-piloto, quase que simultaneamente, foi modernizada nas instalações do CTecCFN.

A entrega técnica prosseguirá pelos próximos meses, lote por lote, até ser concluída em julho de 2014, quando o Corpo de Fuzileiros Navais contará com todas as suas Viaturas Blindadas “M113MB1” operacionais, em condições de pleno emprego pelas próximas duas décadas. A sua execução está sendo desenvolvida nas instalações do Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais, por uma equipe composta de técnicos da empresa israelense, militares do CTecCFN e do Batalhão de Blindados de Fuzileiros Navais e prevê a transferência de tecnologia para a Marinha do Brasil. O processo de modernização também proporciona aos militares da Marinha um grande ganho de conhecimento e experiência, principalmente nos assuntos relacionados à soldagem, manutenção e mecânica.

Após a cerimônia, os presentes visitaram o mostruário exposto, participaram do deslocamento embarcado e assistiram a uma demonstração das Viaturas Blindadas “M113MB1”.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Fragata “União” está de volta ao Líbano

Fragata “União”


O navio que inaugurou a participação da Marinha do Brasil na Força Interina das Nações unidas no Líbano (UNIFIL), em 2011, chegou na manhã desta quinta-feira (11) ao porto de Beirute. A Fragata “União” (F45) irá substituir a Fragata “Constituição” (F42), que foi o navio capitania da Força-Tarefa Marítima (FTM) nos últimos seis meses, no Líbano. A Cerimônia oficial da rendição do navio será realizada no dia 17 de julho, em conjunto com a cerimônia de entrega da medalha da UNIFIL, que irá condecorar os militares que cumpriram a missão e estão de partida para o Brasil.

A Fragata “União” partiu da Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ), no dia 10 de junho. A chegada do navio contou com a calorosa recepção da tripulação da Fragata “Constituição”, atual navio capitania da FTM. Ao som do enredo da escola de samba União da Ilha, os marinheiros repetiam o refrão em uma só voz cantando “a União voltou, a União voltou”, fazendo um paralelo com o navio que retorna ao Líbano, para mais uma missão. Em clima de alegria, os militares de ambos os navios dividiam-se em dois grupos, os que estavam felizes por terem o sentimento de dever cumprido e os que chegavam vibrando com vontade de enfrentar mais um desafio de trabalhar em prol da manutenção da paz.

A bordo da Fragata “União” o Comandante da Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano, Contra-Almirante Joése de Andrade Bandeira Leandro, falou aos militares recém-chegados sobre a importância da participação do Brasil em Missões de Paz. “A partir do dia 17, os senhores representarão, além do povo brasileiro, os 37 países que compõem a UNIFIL e todos os países que compõem a Organização das Nações Unidas. Os senhores serão Mantenedores da Paz”, disse.

FTM-UNIFIL

Em 1978, a UNIFIL foi criada, pela Organização das Nações Unidas, com o objetivo de manter a estabilidade durante a retirada das tropas israelenses do território libanês, além de trabalhar na garantia da paz internacional. Atualmente, possui um contingente de aproximadamente 13.500 pessoas, entre militares e civis de mais de 30 países, dentre eles o Brasil. A FTM-UNIFIL, estabelecida em 2006, é a primeira Força-Tarefa Marítima, criada para integrar uma Missão de Manutenção de Paz da ONU.

Forças Armadas mobilizam 14,3 mil militares para segurança da Jornada Mundial da Juventude e visita do papa


O planejamento de emprego das Forças Armadas durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e visita do papa Francisco ao Brasil prevê a mobilização de 14,3 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. A partir da próxima semana, as tropas estarão atuando no Rio de Janeiro e em Aparecida (SP), locais que receberão a visita do pontífice. Em Guaratiba, onde haverá o encerramento da jornada, e em Aparecida, o efetivo poderá ser utilizado como força policial. O mesmo ocorrerá em locais onde estiver a presidenta Dilma Rousseff e o vice Michel Temer.

Os detalhes foram divulgados nesta quinta-feira (18), pelo comandante do Centro de Coordenação de Defesa de Área (CCDA), general José Alberto da Costa Abreu, e pelo chefe do Estado-Maior do CCDA, almirante Paulo Zuccaro, em entrevista coletiva ocorrida no auditório do Forte de Copacabana, na capital fluminense. O general Abreu explicou que em locais onde não houver a participação das Forças Armadas haverá a atuação de tropas de segurança pública, envolvendo as polícias Federal, Rodoviária Federal e Militar.

“Fora esse contexto, somente teremos condições de atuar se houver solicitação do governo do Rio”, explicou o general. “No campus Fidei (Guaratiba), teremos a presença militar nas barreiras que montaremos num raio de quatro quilômetros do altar onde haverá a celebração pelo papa Francisco.”

O papa Francisco inicia a peregrinação no Brasil, na próxima segunda-feira, ao desembarcar na Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador. Nesse instante, o sumo pontífice ficará sob a proteção das forças militares brasileiras. Na base, Francisco será recebido pela presidenta Dilma Rousseff. De lá até o evento, previsto para acontecer no Palácio Guanabara, as Forças Armadas estarão no comando das ações.

Durante a entrevista coletiva, os jornalistas buscaram saber como se dará o uso do aparato militar nos protestos que se intensificaram nas últimas semanas. Em todas as ocasiões em que os profissionais de mídia abordaram o tema, o general Abreu enfatizou que cada momento será tratado em função das circunstâncias. O oficial assegurou que na linha de frente terá a ação das forças de segurança pública, e a participação das Forças Armadas somente acontecerá a pedido dos governadores do Rio e/ou de São Paulo.

“Temos um efetivo de contingência que permanecerá aquartelado. Esperamos que não seja preciso seu emprego”, contou.

Em Guaratiba, no sábado (28) e domingo (29), quando se dará o encerramento da jornada, Abreu contará com sete mil militares, sendo que 400 homens da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada atuarão, em trajes de terno, na área da celebração central. Segundo o general, os cidadãos com acesso a esse local serão revistados pelos militares. Na área de maior concentração, os fiéis serão observados a partir de 94 torres instaladas no campus do evento.

Outra questão indagada pelos jornalistas foi o fato de os dois veículos a serem utilizados pelo papa Francisco não serem blindados. O general Abreu explicou que, para as equipes encarregadas da segurança, o ideal seria que a Santa Sé enviasse os veículos blindados. Entretanto, como isso não ocorreu, a atenção será desdobrada.

Em Aparecida, o CCDA de São Paulo, sob o comandado do general William Abrahão, terá à disposição 4.040 militares. O papa irá à basílica na próxima quarta-feira (24). Ele celebrará missa no interior do santuário com a participação de cerca de 20 mil pessoas. Em seguida, abençoará os fiéis que estarão na parte externa, com estimativa de 216 mil religiosos.

Concluída a entrevista do general Abreu, iniciou-se a exposição do assessor da Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos (Sesge), do Ministério da Justiça, José Monteiro, que tratou do emprego das forças de segurança pública.

domingo, 21 de julho de 2013

Marinha realiza teste em voo com aeronave Skyhawk AF-1B modernizada

Skyhawk AF-1B
Protótipo modernizado “Skyhawk AF-1B”

Ocorreu em 17 de julho, nas instalações da EMBRAER em Gavião Peixoto (SP), o início de uma série de testes em voo visando à prontificação das aeronaves modernizadas “Skyhawk AF-1B/1C”. O Programa de Modernização das Aeronaves é um dos muitos projetos realizados pela Marinha do Brasil com intuito de manter seus meios integrados aos últimos avanços tecnológicos.

Este programa é resultado da parceria entre Marinha e EMBRAER, e vem sendo conduzido desde abril de 2009. Este contribuirá para o desenvolvimento da Indústria Nacional de Defesa. A entrega das primeiras aeronaves modernizadas está prevista para ocorrer em março de 2014 e o recebimento dos novos meios agregará significativo incremento na capacidade operativa do Poder Naval.

sábado, 20 de julho de 2013

Simulador do C-105 AMAZONAS completa 2000 horas de voo







Na tarde do dia 10/07, o simulador do C-105 Amazonas, sediado na Base Aérea de Manaus (BAMN), atingiu a marca de 2000 horas voadas durante um treinamento de situações de emergências realizado por uma tripulação do Esquadrão Onça (1°/15° GAv).

Fabricado pela CAE, Canadian Aviations Eletronics, o Full Flight Simulator C105 é o primeiro simulador dessa aeronave no mundo e chegou à BAMN em maio de 2009. Esse simulador tático é o primeiro no Comando da Aeronáutica e permite realizar treinamentos que simulam o uso do avião numa situação de combate, utilizando-se de táticas específicas, como as Navegações a Baixa Altura, para lançamentos de cargas e paraquedistas, voo com Equipamentos de Visão Noturna, voo na ala, além de simular mais de 200 tipos de situações emergenciais que podem ocorrer durante a operação da aeronave.

“É um privilégio preparar-me para situações de emergências num simulador que muito se aproxima do realismo de um voo” disse o Tenente Aviador Daniel Jorge, piloto do Esquadrão Onça.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Força aérea de Angola recebe suas primeiras aeronaves Super Tucano

Super Tucano


A Força Aérea Nacional (FAN) recebeu as três primeiras aeronaves EMB-314 Super Tucano, de ataque leve e treinamento avançado, que incorpora os últimos avanços em aviónicos e em armamentos, fabricadas pela empresa brasileira Embraer, no âmbito da reestruturação das Forças Armadas Angolanas (FAA).

O acto oficial de recepção que decorreu hoje, sexta-feira, na capital do país, foi presidido pelo chefe de Estado Maior General das FAA, general Geraldo Sachipengo Nunda, na presença do ministro conselheiro da embaixada do Brasil em Angola, Luís Ivaldo, bem como de generais, oficiais, sargentos e praças dos ramos.

Na ocasião, Geraldo Sachipengo Nunda referiu que o tipo de aeronaves têm capacidade de apoio táctico e de treino inicial para pilotos de caça, preenchendo o espaço onde as FAA precisam de um avião de ataque, com autonomia e raio de acção capaz de operar em qualquer condição meteorológica a partir de pistas curtas e desprovidas de grandes infra-estruturas.

“Depois da recepção dos CESSNA, no princípio do presente ano, no Lobito, este acto é mais um passo do processo ambicioso para equipar a Força Aérea, de capacidade de formação e de versalidade operacional, em cumprimento da directiva do Comandante-em Chefe, José Eduardo dos Santos, para a reedificação das FAA”, sublinhou.

Referiu neste contexto, que a aquisição das aeronaves Super Tucano mobilizou muitos recursos financeiros e, neste sentido, exortou à chefia da Força Aérea Nacional a cuidar das referidas aeronaves com tolerância zero.

“Mobilizaremos os recursos financeiros para que o ramo faça a manutenção oportuna das aeronaves e a proficiência dos pilotos e do pessoal de apoio.

Por outro lado, agradeceu ao governo do Brasil e a empresa Embraer, por ter proporcionado essa valiosa oportunidade às FAA de tomarem contacto com uma tecnologia de ponta, no quadro da cooperação militar existente.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Governo brasileiro entrega os primeiros veículos de combate Urutu ao Suriname


Já encontram-se no Suriname os dois carros de combate Urutu revitalizados pelo Exército Brasileiro. Os veículos passam agora a integrar a frota do país vizinho. A iniciativa do Brasil faz parte do acordo bilateral de cooperação e do compromisso assumido pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, quando visitou o Suriname, em setembro de 2012.

O ministro Amorim considera importante o Brasil ampliar as oportunidades de cooperação militar com os países do cone norte e os classificou como “parceiros na construção de uma comunidade de segurança na América do Sul”.

Mais duas viaturas blindadas do tipo Cascavel, produzidas pela extinta Engesa, estão em fase final de revitalização no Parque Regional de Manutenção do Rio de Janeiro. O acordo prevê também a capacitação do país vizinho em sustentabilidade logística.

A revitalização dos veículos foi gerenciada pelo Comando Logístico do Exército Brasileiro e o transporte até o país vizinho foi feito pela Marinha do Brasil, por meio do navio de desembarque de carro de combate, Almirante Sabóia.

A cerimônia de entrega dos carros para o Comando das Forças Armadas Nacionais do Suriname contou com a presença do embaixador do Brasil, Marcelo Baumbach, e do general Adalmir Manoel Domingues, diretor de Material do Exército Brasileiro, representando o ministro da Defesa do Brasil.

Patriota diz que explicação dos EUA sobre espionagem foi insuficiente

Antonio Patriota


O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, considerou insuficientes os esclarecimentos enviados pelo governo dos Estados Unidos sobre as denúncias de espionagem das comunicações brasileiras. Segundo o ministro, novas explicações serão solicitadas. Dados sobre ações da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) no Brasil começaram a ser revelados pelo GLOBO no dia 7 de julho.

Alguns esclarecimentos foram fornecidos. Consideramos insuficientes. Está reunido um grupo técnico aqui no Brasil com representantes dos ministérios da Justiça, Defesa, Itamaraty, GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Ciência e Tecnologia para elaborar uma lista de perguntas e solicitarmos esclarecimentos adicionais - afirmou o ministro.

Segundo Patriota, os países do Mercosul ainda estão se organizando para efetivar uma decisão tomada na sexta-feira passada. Na ocasião, em repúdio às ações de governos europeus que impediram o trânsito do avião presidencial boliviano, o bloco decidiu que fossem convocados para consultas os embaixadores em Espanha, França, Itália e Portugal, para que informem sobre os fatos ocorridos. Havia a suspeita de que, no avião boliviano, estivesse escondido o ex-técnico da CIA Edward Snowden, que revelou um amplo sistema de espionagem do governo dos EUA.

Patriota também comentou as declarações do presidente eleito do Paraguai, Horacio Cartes, de recusar a reintegração ao bloco. O país está suspenso desde junho de 2012, quando o Congresso do país aprovou o impeachment do ex-presidente Fernando Lugo, num processo que durou menos de 24 horas e que, segundo os demais países do bloco, transgrediu as regras do jogo democrático. O chanceler lembrou que a presidente Dilma Rousseff propôs que todos os presidentes do Mercosul estejam presentes na posse do presidente paraguaio, sugestão que foi aceita pelos demais países.

- É importante ouvir o que o novo governo tem a dizer, uma vez no pleno exercício do poder. O novo governo está falando como governo eleito, mas não ainda como governo empossado. Isso será a partir do dia 15 de agosto.

As declarações de Patriota foram dadas após encontro com o ministro das Relações Exteriores da Nigéria, Olugbenga Ashiru, em que os dois discutiram o aprofundamento dos negócios entre os dois países. Também ficou acertado que o Brasil vai apoiar a candidatura nigeriana a um assento temporário no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para o biênio 2014-2015.

Sessão com Shannon no Senado poderia ser fechada


Também em Brasília, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) visitou o embaixador dos Estados Unidos, Thomas Shannon, nesta segunda-feira. Após a reunião, Ferraço, que preside a Comissão de Relações Exteriores, afirmou que o representante americano aguarda autorização de Washington para comparecer à Comissão de Relações Exteriores do Senado.

Shannon foi convidado a falar na comissão sobre as denúncias de espionagem feitas pelo ex-técnico da CIA, Edward Snowden, e reveladas pelo GLOBO, a respeito de um esquema de espionagem do governo dos EUA que incluiu o Brasil. De acordo com Ferraço, não há previsão de quando o embaixador poderá comparecer.

- O embaixador afirmou que a presença dele no Senado só é possível se Washington permitir. Fui convidá-lo pessoalmente para convencê-lo de que precisamos fazer um diálogo em torno a essas denúncias de espionagem. Ele não está obrigado a vir, mas seria uma oportunidade para ajudar a esclarecer à sociedade brasileira fatos da maior gravidade. Ele disse que também vê isso como uma oportunidade, mas não há expectativa de quando isso ocorrerá - disse Ferraço.

O senador destacou ainda que há possibilidade de uma sessão fechada no Senado, caso o embaixador solicite esta forma de audiência com os senadores. De acordo com Ferraço, por questões estratégicas, há previsão constitucional para isso.

- Se Shannon solicitar uma sessão reservada, isso pode ser feito sem problemas, caso haja informações estratégicas que não possam ser reveladas. Há previsão constitucional para isso - completou Ferraço.

O senador disse ainda que, na conversa com Shannon, o embaixador justificou que desde 11 de setembro de 2001 os Estados Unidos intensificaram as medidas antiterroristas no país. Para Ferraço, há uma tentativa do governo americano de usar o discurso antiterrorista para respaldar a espionagem em outros países.

Fonte: http://oglobo.globo.com/mundo/patriota-diz-que-explicacao-dos-eua-sobre-espionagem-foi-insuficiente-9041340

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Governo da Bolívia revistou avião da Força Aérea Brasileira



Meses antes de expressar repúdio pela retenção e revista do avião de seu presidente na Europa, sob suspeita de que levava o ex-agente da CIA Edward Snowden, o governo boliviano reteve e revistou a aeronave que levaria o ministro da Defesa, Celso Amorim, de volta ao Brasil após uma visita à cidade de Santa Cruz de la Sierra, no ano passado. A busca, feita inclusive com cães farejadores, aconteceu em meio a suspeitas de que Amorim levava a bordo o senador de oposição Roger Pinto, que está refugiado há mais de um ano na Embaixada do Brasil em La Paz.

A informação, divulgada no último fim de semana pelo site "Diário do Poder", do jornalista Claudio Humberto, foi confirmada ao Valor por fontes do governo brasileiro. O incidente ocorreu em 3 de outubro do ano passado, segundo as fontes, quando Amorim visitou a Bolívia para a doação de dois helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) ao país, para serem usados no combate ao narcotráfico.

Segundo as fontes do governo brasileiro, o Itamaraty emitiu uma nota de protesto pela vistoria do avião de Amorim. Uma das fontes afirma que, em resposta, os bolivianos "responderam com um pedido de desculpas". Outra fonte afirma que Amorim permitiu a revista do avião, que pertence à FAB. O incidente vinha sendo mantido em segredo pelos dois países.

Questionado pelo Valor, o Ministério da Defesa disse que não comentaria o assunto. Já o Ministério das Relações Exteriores disse que "a assessoria de imprensa não tem conhecimento dessa informação" [a vistoria do avião de Amorim e a nota de protesto].

Já o Ministério das Relações Exteriores da Bolívia "não confirma nem nega" o incidente.

A informação vem à tona poucos dias depois da indignação expressada por quase todos os países sul-americanos com a retenção do avião do presidente da Bolívia, Evo Morales, na Europa, no dia 3 de julho. Na ocasião, Itália, França, Espanha e Portugal fecharam seu espaço aéreo para o avião presidencial. Isso obrigou a aeronave a pousar na Áustria, onde ela foi revistada. O episódio ocorreu por conta da caçada promovida pelo governo americano a Snowden, que revelou no mês passado que o Wa-shington monitora dados de internet e telefonemas para "combater o terrorismo". Os países europeus negaram que o incidente tivesse relação com Snowden.

O caso gerou uma reunião de emergência da Unasul (União de Nações Sul-Americanas) e foi destaque da agenda da cúpula do Mercosul, na semana passada. Reunidos em Montevidéu, os presidentes de Brasil, Argentina, Uruguai e Venezuela decidiram convocar seus embaixadores nos quatro países europeus para consultas - uma medida diplomática que sinaliza um forte mal-estar entre os países, sem implicar rompimento das relações bilaterais.

O senador Roger Pinto chegou à embaixada brasileira em La Paz em 28 de maio do ano passado. Alvo de mais de 20 processos judiciais, ele diz sofrer perseguição política após ter denunciado o envolvimento de altas autoridades do governo boliviano com o narcotráfico. Pinto pediu e recebeu asilo político da presidente Dilma Rousseff, mas permanece na embaixada, pois Morales se recusa a conceder-lhe um salvo-conduto para que ele deixe o local sem ser preso.

Brasil e Bolívia formaram uma comissão bilateral em março para tentar uma solução, mas a embaixada está alijada do caso. Para Morales, o embaixador brasileiro em La Paz, Marcel Biato, passou "informações incorretas" a Dilma a respeito do senador. A ministra da Comunicação boliviana, Amanda Dávila, chegou a chamar Biato de "porta-voz da oposição".

O mal-estar levou à troca do embaixador, a pedido de La Paz, apurou o Valor. Biato deve ir para a Suécia. Ele já recebeu o "agrément" de Estocolmo, mas seu nome ainda tem que ser aprovado pelo Senado brasileiro.

Fonte: http://www.valor.com.br/internacional/3199250/bolivia-revistou-aviao-de-amorim-em-busca-de-opositor?utm_source=newsletter_tarde&utm_medium=16072013&utm_term=bolivia+revistou+aviao+de+amorim+em+busca+de+opositor&utm_campaign=informativo&NewsNid=3198614

FAB disponibiliza informações sobre voos oficiais na internet



A partir desta segunda-feira (15/7), qualquer pessoa pode ter acesso a informações sobre os voos em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) realizados para atender autoridades. Para isso, basta acessar a seção de registro de voos neste site www.fab.mil.br/acessoainformacao.

Dados como o nome da autoridade, trajeto, data, horário de decolagem e pouso do voo, total de passageiros, além do motivo da solicitação da aeronave estarão disponíveis para consulta. No site aparecem informações a partir do dia 12 de julho de 2013.

“Por razões de segurança, as informações sobre os voos serão inseridas na página da FAB até às 18h do primeiro dia útil seguinte ao término da viagem. Nos casos em que a missão oficial for composta de mais de um trecho, a informação virá a público no primeiro dia útil após a conclusão do último trecho voado”, explica a FAB.

Uma das viagens que consta no documento é da ministra chefe da Casa Civil da Presidência da República, Gleisi Hoffmann, de Brasília para Curitiba (PR) no sábado (13/7) e retorno no dia seguinte. No voo havia seis passageiros. Outro citado é o do ministro do Desenvolvimento da Indústria e Comercio Exterior, Fernando Pimental, de Brasília para Belo Horizonte (MG), na sexta-feira (12/7) e retorno no domingo (14/7).

Entre o dia 12 e 14 deste mês, 10 ministros usaram voos da FAB, mais de 100 passageiros, por motivos de volta para casa, trabalho e emergências médicas.

Dinheiro devolvido


O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, vai ressarcir os cofres públicos pelo uso de avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em viagem pessoal para assistir à final da Copa das Confederações, no último dia 30, no Rio de Janeiro. O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) vai devolver o dinheiro equivalente ao custo pela utilização de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) no último dia 15 de junho.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Comando do 3º Distrito Naval recebe Navio-Patrulha “Macau”

Navio-Patrulha “Macau”


A Diretoria-Geral do Material da Marinha transferiu, no dia 31 de maio, para o setor operativo o Navio-Patrulha (NPa) “Macau”, na Base Naval de Natal. A cerimônia foi presidida pelo Diretor-Geral do Material da Marinha, Almirante-de-Esquadra Arthur Pires Ramos. O evento, que contou com a presença de autoridades civis e militares, consolidou a capacidade operacional do navio.

O navio realizará, prioritariamente, apoio à fiscalização das Águas Jurisdicionais Brasileiras, atividade de patrulha, inspeção naval e salvaguarda da vida humana no mar, contribuindo para a segurança do tráfego marítimo nacional e defesa dos interesses estratégicos do Brasil, atuando, principalmente, na proteção da “Amazônia Azul”.

O NPa “Macau” recebeu esse nome em homenagem à cidade do litoral potiguar, famosa por suas salinas e pela produção de petróleo. A construção do Navio-Patrulha foi iniciada em 2007 e, em 2010, foi entregue à Marinha, sendo o segundo de uma nova classe de Navios-Patrulha em construção, a classe “Macaé”. Em seu projeto foi utilizado o modelo do Navio-Patrulha francês Classe Vigilante 400 CL54, que foi alterado e aperfeiçoado, incorporando desenvolvimentos tecnológicos e melhorias no desempenho do navio.

Países questionam na OMC medidas de proteção adotadas pelo Brasil



A União Europeia (UE) e outros países relataram ao Conselho do Comércio de Mercadorias da Organização Mundial do Comércio (OMC) preocupações com medidas adotadas pelo Brasil como a taxação indireta para proteger as indústrias domésticas, incluindo requisitos de conteúdo nacional.

A UE já tinha abordado a questão no Comitê de Acesso ao Mercado e na recente revisão da política comercial brasileira.

Na reunião de quinta-feira (11), o Japão disse ter levantado o mesmo assunto em encontros anteriores e na Comissão de Medidas de Investimento Relacionadas ao Comércio. Austrália, Canadá, China, Estados Unidos e Hong Kong também expressaram preocupações semelhantes.

A representação do Brasil afirmou ter fornecido boa quantidade de informações sobre programas em outros órgãos da OMC, incluindo a sua mais recente revisão da política comercial. Acrescentou que o governo está tentando racionalizar o sistema tributário para promover e desenvolver a inovação e proteger o meio ambiente. Além disso, acrescentou que muitas empresas da UE e do Japão foram credenciadas para os programas.

Outras questões também foram abordadas, como a preocupação japonesa sobre as taxas estipuladas em abril pela Ucrânia para proteção da indústria automobilística, que afetam diretamente as exportações nipônicas. Os Estados Unidos reiteraram preocupações sobre o programa de reciclagem de carros da Rússia e o atraso do país para aderir ao Acordo de Tecnologia da Informação da OMC.

A UE também criticou o programa do Japão que, para aumentar a oferta e utilização de produtos florestais nacionais, admitiria apenas espécies de madeira japonesas. Os Estados Unidos reiteraram preocupações com o que chamaram de uma complexa teia de restrições comerciais opacas na Indonésia que afetam bens da agricultura, da energia e do consumidor.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

PM de São Paulo terá caminhões com canhões de água para atuar em manifestações

Blindado Centurion da Polícia Militar do Distrito Federal
Blindado Centurion da Polícia Militar do Distrito Federal


Após os confrontos que terminaram com feridos nos protestos de junho, a Polícia Militar de São Paulo decidiu comprar veículos especiais para dispersar multidões com jatos de água e tinta. O comandante-geral da PM, coronel Benedito Roberto Meira, anunciou nessa segunda-feira (8), a abertura de licitação internacional para adquirir os equipamentos, entre eles quatro caminhões.

O Comando da PM trabalha nos detalhes do edital, mas ainda não há uma data definida para lançá-lo. A previsão é que sejam gastos 30 milhões de dólares (o equivalente a R$ 67,5 milhões). A ideia é que a frota esteja disponível na Copa de 2014, na eventualidade de uma nova onda de motins, segundo Meira.

— É para o ano que vem. Quem imaginava que haveria protestos dessa magnitude [na Copa das Confederações]? Não sabíamos que iriam encorpar tanto assim.

Os caminhões, do tipo riot control (controle de tumulto), oferecem alternativas ao gás lacrimogêneo. Embora também dispersem o material, podem lançar primeiro jatos de água pura ou com tinta que colore as roupas dos manifestantes. Isso facilitaria a identificação dos que se envolvem com violência.

A técnica de dispersão com água foi usada recentemente nas manifestações na Turquia. Segundo o coronel, nenhuma PM brasileira tem os caminhões especiais. A do Rio, no entanto, adaptou um veículo, que faz um riot control improvisado.

— O Estado não investiu muito em equipamentos de controle de distúrbios civis.

Além dos veículos especiais, a PM comprará para a Tropa de Choque cartucheiras semiautomáticas de calibre 12 para emprego em incursões em áreas consideradas de risco, dois robôs para desarmar bombas e carros blindados para transporte de policiais.

— Não é caveirão, hein?.

Apesar das novas tecnologias, ele disse que as balas de borracha continuarão como alternativa da PM paulista em protestos futuros.

— Se houver necessidade, vamos usar, com os mesmos critérios. Em São Paulo, fui eu que suspendi [o uso nas manifestações]. Não por causa de críticas, mas porque causa realmente uma lesão, ofende a integridade física. Não foi feito com essa finalidade, mas pode atingir.

Regras


O comandante participou, em Brasília, de encontro das cúpulas das PMs no Ministério da Justiça. Na reunião, discutiu-se a adoção de um protocolo padronizado para as corporações de todo o País adotarem em protestos. Atualmente, cada Estado tem critérios próprios para definir como agir no controle de motins e em que circunstâncias usar balas de borracha, gás lacrimogêneo e spray de pimenta.

A secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, afirmou que os abusos foram pontuais nos protestos de junho.

— Em outros países, manifestações muito menores terminaram em morte. Mas estamos em processo de aprimoramento. Nossa avaliação é que as polícias garantiram a Copa das Confederações.

Opinião do Blog: No texto o coronel Benedito Roberto Meira disse que nenhuma PM brasileira possui veiculos com jatos de água mas ele esta enganado a Polícia Militar do Distrito Federal possui os Blindados Centurion que possuem jatos de água e eles são fabricados no Brasil pela empresa Centigon que fica em São Paulo.

Fonte: http://noticias.r7.com/sao-paulo/pm-de-sao-paulo-tera-caminhoes-com-canhoes-de-agua-para-atuar-em-manifestacoes-09072013#R7

domingo, 14 de julho de 2013

CIBld recebe seu primeiro Blindado GUARANI

Blindado GUARANI


O Centro de Instrução de Blindados “General Walter Pires” recebeu, no dia 27 de Junho, sua primeira Viatura Blindada de Transporte de Pessoal - Média sobre Rodas GUARANI.

Blindado GUARANI
O desenvolvimento deste Blindado faz parte dos sete projetos estratégicos do Exército Brasileiro e conta com a parceria da empresa Iveco do Brasil. É uma Viatura Blindada de Transporte de Pessoal, com capacidade para transportar até 11 militares, possui tração nas seis rodas (6x6) e é anfíbia. A viatura possui proteção antiminas de até 6 kg sob as rodas e couraça, além de assentos individuais antiminas de nível 2, com cinto de segurança de 5 pontas. A sua proteção balística é composta de blindagem contra tiros de 7,62 mm perfurante até 30 m. Resiste a estilhaços de granadas de artilharia 155 mm até 80 metros. A Viatura Blindada de Transporte de Pessoal - Média sobre Rodas GUARANI recebida pelo Centro tem peso bruto de 14,7 toneladas, sendo equipada com estação de armas PLATT. O motor do blindado tem potência de 383 cavalos e atinge uma velocidade máxima de até 100 km/h. Essa Viatura está prevista para dotar inicialmente ao Organizações Militares da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada. O Blindado vai ser utilizado pelo Centro para especializar Oficiais e Sargentos na operação e manutenção deste meio de emprego militar.

Espionagem é ameaça a direitos humanos e Brasil vai levar caso a ONU



O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse nesta quarta-feira que a possibilidade de espionagem de cidadãos brasileiros por agências americanas de segurança é interpretada pelo governo como uma ameaça aos direitos humanos. O ministro da Defesa, Celso Amorim, acrescentou que a "gravidade é óbvia", pois atinge não só o "indivíduo como o Estado".

Patriota, Amorim e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), José Elito Siqueira, participaram de audiência pública da Comissão de Relações Exteriores do Senado. Patriota, o primeiro a falar, reiterou a preocupação do governo com as denúncias e as providências tomadas nos âmbitos bilateral com os Estados Unidos e multilateral.

"O governo brasileiro recebeu com grave preocupação", ressaltou o chanceler, lembrando que a Constituição brasileira estipula como direito humano a privacidade dos cidadãos. "(A Constituição garante) o direito à privacidade, que é inviolável, direito ao sigilo das correspondências, das comunicações e ligações telefônicas, salvo sob autorização judicial."

Patriota ressaltou que foram pedidos esclarecimentos aos Estados Unidos, por intermédio das embaixada americana no Brasil e a representação brasileira em Washington. Paralelamente, serão feitas manifestações na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em setembro, em Nova York, e na Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Na ONU, a tentativa do Brasil é buscar uma definição sobre normas claras de comportamento para os países quanto à privacidade das comunicações dos cidadãos e a preservação da soberania dos demais Estados. Na Unesco, a meta é discutir sobre ética e medidas de preservação e proteção.

Na União Internacional de Telecomunicações (UIT), em Genebra, Suíça, o objetivo é pedir um esforço coletivo para o aperfeiçoamento de regras multilaterais sobre segurança das telecomunicações.

O chanceler rechaçou a possibilidade de postos diplomáticos brasileiros terem sido alvos de escutas telefônicas. Ele lembrou que há um pacto firmado pelos Estados Unidos e pelo Brasil que preserva o sigilo. "Não há dúvida que caso confirmadas (as denúncias), são práticas inaceitáveis. A correspondência da missão é inviolável. O Brasil foi o primeiro a levar esse assunto em fóruns internacionais", disse.

Espionagem americana no Brasil


Matéria do jornal O Globo de 6 de julho denunciou que brasileiros, pessoas em trânsito pelo Brasil e também empresas podem ter sido espionados pela Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (National Security Agency - NSA, na sigla em inglês), que virou alvo de polêmicas após denúncias do ex-técnico da inteligência americana Edward Snowden. A NSA teria utilizado um programa chamado Fairview, em parceria com uma empresa de telefonia americana, que fornece dados de redes de comunicação ao governo do país. Com relações comerciais com empresas de diversos países, a empresa oferece também informações sobre usuários de redes de comunicação de outras nações, ampliando o alcance da espionagem da inteligência do governo dos EUA.

Ainda segundo o jornal, uma das estações de espionagem utilizadas por agentes da NSA, em parceria com a Agência Central de Inteligência (CIA) funcionou em Brasília, pelo menos até 2002. Outros documentos apontam que escritórios da Embaixada do Brasil em Washington e da missão brasileira nas Nações Unidas, em Nova York, teriam sido alvos da agência.

Logo após a denúncia, a diplomacia brasileira cobrou explicações do governo americano. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou que o País reagiu com “preocupação” ao caso.

O embaixador dos Estados Unidos, Thomas Shannon negou que o governo americano colete dados em território brasileiro e afirmou também que não houve a cooperação de empresas brasileiras com o serviço secreto americano.

Por conta do caso, o governo brasileiro determinou que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) verifique se empresas de telecomunicações sediadas no País violaram o sigilo de dados e de comunicação telefônica. A Polícia Federal também instaurou inquérito para apurar as informações sobre o caso.

Após as revelações, a ministra responsável pela articulação política do governo, Ideli Salvatti (Relações Institucionais), afirmou que vai pedir urgência na aprovação do marco civil da internet. O projeto tramita no Congresso Nacional desde 2011 e hoje está em apreciação pela Câmara dos Deputados.

sábado, 13 de julho de 2013

IMBEL divulga seus Sistemas de Abrigos Temporários

Abrigo Temporário


Dando prosseguimento ao trabalho de divulgação dos Sistemas de Abrigos Temporários (SATi) produzido pela IMBEL, foram realizadas, no período de 3 a 5 de julho, uma exposição do material na área interna do Quartel-General do Exército e uma palestra informativa sobre os sistemas, no auditório do Departamento de Ciência e Tecnologia.

Abrigo Temporário
A palestra mostrou as etapas de desenvolvimento da mais nova linha de produtos IMBEL, abordou as principais características dos SATi, enfatizou a versatilidade e modularidade de suas versões e elencou as possíveis aplicações civis e militares dos sistemas.

A linha de produtos SATi foi desenvolvida com o objetivo de disponibilizar abrigos temporários de alto desempenho ou econômicos que atendam à crescente demanda dos públicos institucionais e privados, em especial as Forças Armadas, as Polícias Militares, o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e a Organização das Nações Unidas.

Os SATi contemplam, basicamente, três vertentes de emprego: a de Campanha, a Humanitária e a de Defesa Civil. As linhas são integradas por produtos tropicalizados e customizáveis que buscam atender às expectativas dos clientes, no que tange aos requisitos de confiabilidade, conforto, rusticidade, rapidez e flexibilidade de montagem/desmontagem e operação.

Abrigo Temporário
Os Abrigos Modulares de Campanha integram a Linha de Produtos de Alto Desempenho do Sistema de Abrigos Temporários IMBEL e são produzidos em módulos de 10, 20 e 30 m². Destinam-se ao atendimento das necessidades táticas das Forças Armadas e de Segurança Pública, servindo como instalações de Comando e Controle e de Postos de Triagem para evacuação de feridos nas operações militares. Dentre outras importantes características, destaca-se sua resistência a ventos de 80 km/h e a rajadas de, até, 100 km/h.

Os Abrigos Humanitários Básicos também integram a Linha de Produtos de Alto Desempenho do Sistema de Abrigos Temporários IMBEL e são produzidos em módulos de dimensões variáveis: 20 e 30 m². Esses equipamentos são indicados para a instalação de unidades de gerenciamento de defesa civil, controle e triagem em áreas não edificadas e para o funcionamento de hospitais e postos de atendimento médicos de emergência.

Já as Barracas Humanitárias para Defesa Civil integram a Linha de Produtos Econômicos do Sistema de Abrigos Temporários IMBEL, sendo indicadas para o atendimento de famílias desabrigadas atingidas por grandes calamidades. Com dimensões de 15 m², podendo ter acrescida uma varanda de 7,5 m², elas podem abrigar núcleos familiares de até 4 pessoas em boas condições de conforto, no que diz respeito à temperatura ambiente, ao controle da umidade e à facilidade de higienização.

O estande, onde foram expostas as diferentes versões dos SATi, foi visitado pelo Comandante do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri, acompanhado de integrantes do Alto-Comando, de oficiais-generais e de outras autoridades militares e civis.

EUA dizem que não discutirão ação de monitoramento em público

Barack Obama


Questionado sobre as denúncias de que está espionando e-mails e chamadas telefônicas de brasileiros, o governo norte-americano afirmou que não discutirá essas questões publicamente, mas intramuros diretamente com a estrutura diplomática do país, segundo reportagem publicada neste domingo (7) pelo Fantástico.

Por meio da Direção Nacional de Inteligência, agência ligada diretamente ao presidente Barack Obama, a Casa Branca afirmou que “os Estados Unidos vão responder a seus parceiros e aliados através de canais diplomáticos”.

De acordo com o Fantástico, o governo americano diz na mensagem que sua política é coletar no exterior o mesmo tipo de informações de inteligência que, segundo afirmam, são captadas por todas as nações.

A justificativa é parecida com a que o presidente Barack Obama deu na semana passada quando foi questionado sobre revelações de que os Estados Unidos espionam ligações telefônicas e comunicações eletrônicas na Europa.

Neste domingo, o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, solicitará esclarecimento a Washington e ao embaixador norte-americano no Brasil.

"O governo brasileiro promoverá no âmbito da União Internacional de Telecomunicações (UIT) em Genebra, o aperfeiçoamento de regras multilaterais sobre segurança das telecomunicações. Além disso, o Brasil lançará nas Nações Unidas iniciativas com o objetivo de proibir abusos e impedir a invasão da privacidade dos usuários das redes."

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Amorim defende o uso de tecnologia nacional para proteger redes de comunicação do País



O ministro da Defesa, Celso Amorim, defendeu hoje no Senado a necessidade de que o Brasil desenvolva softwares e outras ferramentas nacionais para proteção das redes de computadores de seus órgãos de Estado. "O desafio principal que temos é o de desenvolver ferramentas nacionais com brasileiros para nos defender", afirmou.

Na companhia do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general José Elito de Carvalho Siqueira, Amorim participou de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da casa legislativa. O convite teve como motivação as denúncias de espionagem de comunicações de cidadãos, empresas e órgãos públicos por agências de inteligência dos Estados Unidos.

Durante a reunião, o ministro Amorim admitiu haver fragilidade nos mecanismos de defesa das redes cibernéticas do País. "Porém, acho que, como em toda situação, o primeiro passo para se resolver o problema é diagnosticá-lo", afirmou. "E acho que estamos diagnosticando corretamente que existe uma vulnerabilidade em termos de defesa cibernética".

O ministro da Defesa frisou, entretanto, que a fragilidade dos meios de segurança das redes de computador não é uma peculiaridade do Brasil, como pode ser observado em declarações recentes de líderes mundiais europeus e sul-americanos a respeito das denúncias espionagem. "A Alemanha e a França, países que dispõem de sistemas muito sofisticados, a julgar pela declaração dos seus próprios líderes, também foram tomados de surpresa pela escala e pela amplitude dessas ações", ressaltou.

Amorim lembrou que até mesmo o ex-secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta, admitiu que seu país estava sujeito a ter um "Pearl Harbor cibernético". "Se o secretário de Defesa dos EUA diz isso é porque é algo complexo de se conseguir resolver de um dia para outro", disse, acrescentando que ele próprio mantém cuidados especiais com suas comunicações eletrônicas.

Satélite brasileiro


O ministro da Defesa, em resposta às perguntas feitas pelos parlamentares, também tratou do projeto de construção de um satélite geoestacionário a ser colocado em órbita por um consórcio brasileiro. O projeto prevê investimentos de R$ 720 milhões. A licitação deve ser concluída no fim do mês e a assinatura do contrato está prevista para agosto deste ano. A previsão é que o satélite geoestacionário entre em funcionamento 32 meses após o contrato assinado.

Amorim afirmou que o projeto é prioridade. Ele explicou que a Defesa terá uma banda específica para comunicações militares, a chamada banda X. O ministro assinalou aos parlamentares a necessidade de o Brasil desenvolver satélites exclusivos para a defesa, além do geoestacionário em curso. "É um projeto e esses projetos custam caro, como custa também caro o Sisfron, que é uma prioridade nossa", afirmou, fazendo referência ao sistema do Exército de monitoramento de fronteira.

A audiência no Senado começou com o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, lendo a nota oficial divulgada mais cedo pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República sobre as medidas tomadas pelo governo em relação às denúncias de espionagens. Os senadores fizeram perguntas sobre temas como a possibilidade de o Brasil conceder asilo ao ex-agente norte-americano Edward Snowden, apontado como o autor do vazamento dos documentos referentes à espionagem, bem como questões ligadas à internet e defesa das redes de computadores públicas e privadas.

Ao término da reunião, os ministros conversaram com os jornalistas, ocasião em que Amorim voltou a defender a solução de softwares livres para os sistemas de comunicação nacionais.